Alguns dados sobre a indústria da carne

Por Leandro Uchoas

Ao divulgar isso, repito aqui que não defendo a universalização da dieta vegetariana ou vegana. Defendo uma redução nos níveis atuais de consumo. Vejam uma simplificação dos efeitos do consumo excessivo de carne no Brasil e no planeta:

1) DESMATAMENTO da Amazônia e do Cerrado. No Brasil, 172 milhões de hectares são destinados a pecuária. E 31 milhões ao plantio de soja, que é exportado para se tornar alimento de animais na Europa e na China

2) ÁGUA: para cada um quilo de carne, gastam-se 15 mil litros de água. A quantidade de água necessária para produzir carne é 10 vezes maior do que a necessária para o açúcar, 20 vezes mais do que as maças, e 50 vezes do que as batatas

3) POLUIÇÃO: 1/3 das emissões de gás carbônico na atmosfera é provocado pela pecuária. Toda a poluição da área de transportes do mundo, somada, é menor e menos poluente (todos os carros, todos os ônibus, todos os trens, todos os barcos etc).

4) QUESTÃO TRABALHISTA: trabalhadores do abate de animais suportam condições precárias e são mal remunerados. Essa situação é invisível, porque a indústria da carne não divulga imagens de frigoríficos, que fariam muita gente desistir da carne.

5) SAÚDE PÚBLICA: para produzir tanta carne, os animais crescem confinados. E, neste quadro, para não disseminar doenças entre eles, usa-se antibióticos que permanecem na carne. VEJA ESTE DADO ASSUSTADOR: no mundo. usa-se três vezes mais antibióticos em animais saudáveis do que em humanos doentes!

6) BIODIVERSIDADE: como ocorre na produção de vegetais, a escala industrial de carne tem reduzido a biodiversidade para unificar a produção. As muitas espécies de bois, frangos, peixes estão sendo reduzidas a pouquíssimas “mais eficientes”, de engorda mais rápida.

7) CONCENTRAÇÃO DE PODER: como em outras áreas da economia (inclusive dos vegetais), meia dúzia de corporações está dominando este mercado. A brasileira JBS se tornou a maior do mundo (com financiamento farto do BNDES). A BrF, também envolvida no escândalo recente, é a terceira maior do mundo em seu ramo.

8) ETICÉTERA Tem ainda muitos números assustadores sobre essa indústria. Mas paro por aqui, porque este texto já está enorme demais.

OBS. Na publicação ATLAS DA CARNE, elaborada pela Fundação Heinrich Böll, você pode encontrar uma síntese dos efeitos sociais e ambientais da produção industrial de carne.